Erros Gramaticais I – Herrar é umano

Nosso blog já contemplou uma série de artigos destinada ao ensino da Gramática. Agora, vamos nos concentrar exclusivamente nos erros gramaticais e ortográficos, evitando as explicações teóricas, ou seja, uma forma mais sucinta e objetiva de ajudar nossos leitores. São ao todo cem erros, os mais comuns e que ocorrem com maior frequência. Muitos deles já foram vistos nos artigos acima mencionados, cujo título era “Desvendando a Gramática”. Procure conhecê-los e evite usá-los, especialmente na linguagem escrita.

  1. “Mal cheiro”, “mau-humorado”? Mal opõe-se a bem e mau, a bom. Assim: mau cheiro (bom cheiro), mal-humorado (bem-humorado). Igualmente: mau humor, mal-intencionado, mau jeito, mal-estar.
  2. “Fazem” cinco anos. Fazer, quando exprime tempo, é impessoal: Faz cinco anos. Fazia dois séculos. Fez 15 dias que ele desapareceu.
  3. “Houveram” muitos acidentes. Errado. Haver, como existir, também é invariável: Houve muitos acidentes no ano passado. Havia muitas pessoas no enterro. Deve haver muitos casos iguais a este.
  4. “Existe” muitas esperanças. Existir, bastar, faltar, restar e sobrar admitem normalmente o plural: Existem muitas esperanças para nós. Bastariam dois dias para a guerra acabar. Faltavam poucas peças na mala dela. Restaram alguns objetos na casa. Sobravam ideias para nós.
  5. Para “mim” fazer. Mim não faz, porque não pode ser sujeito. Assim: Para eu fazer, para eu dizer, para eu trazer. Porém: Ele trouxe os livros para mim. Nada restou para mim neste mundo.
  6. Entre “eu” e você. Errado! Depois de preposição (neste caso, entre), usa-se mim ou ti: Entre mim e você não há segredos. Entre eles e ti nunca houve concordância. Esta decisão só poderá ser tomada entre mim e o senhor.
  7. “Há” dez anos “atrás”. e atrás indicam passado na frase. Use apenas dez anos ou dez anos atrás. Recebi esta notificação alguns dias. Recebi esta notificação alguns dias atrás.
  8. “Entrar dentro”. O certo: entrar em. Veja outras redundâncias: Sair fora ou para fora, elo de ligação, monopólio exclusivo, já não há mais, ganhar grátis, viúva do falecido.
  9. “Venda à prazo”. Não existe crase antes de palavra masculina, a menos que esteja subentendida a palavra moda: Salto à (moda de) Luís XV. Nos demais casos: A salvo, a bordo, a pé, a esmo, a cavalo, a caráter.
  10. “Porque” você foi? Errado. Sempre que estiver clara ou implícita a palavra razão, use por que separado: Por que (razão) você foi? Não sei por que (razão) ele faltou. Explique por que motivo você se atrasou. Porque é usado nas respostas: Ele se atrasou porque o trânsito estava congestionado.

Nos próximos artigos, daremos continuidade à relação de erros e como corrigi-los Não perca!

 

Colaboração: Sérgio Martins (ex-professor do CEFSA e atual colaborador do Setor de Comunicação nos serviços de revisão de textos)

Compartilhe!

1 comentário / Adicionar um comentário abaixo

  1. aí galera mais uma vez parabéns, estou realizando mediação educativa para estudante de ensino remoto que têm dificuldades e este material já me ajudou, obrigado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.